terça-feira, maio 20, 2014

Nativa da Favela



A minha voz não cala nosso Bang ta formado
O flow ta no sangue seguimos lado a lado
Descalça no asfalto andando eu me acho
Amarro os meus laços é nela que tudo eu faço
Seguindo a melodia que escuto em cada esquina
A madrugada atiça meus passos sobre a trilha
Caminho contra o vento esse é o meu momento
Tentando achar o certo e o incerto dos meus pensamentos
Pensam que podem ofuscar o meu brilho
Não vale a pena tentar, eu não ando sozinha
Silenciam nossa voz, tentam nos derrubar
Combatendo de frente calada não vou ficar
Nativa da favela eu ando sempre nela
Entre becos e vielas minha vida é parte dela
Há uma nova estrada sigo rumos diferentes

Meu caminho sou eu que traço, amarro laços, sigo em frente. 

quarta-feira, abril 09, 2014

Envolve-me




De repente, sinto soprar uma brisa suave sob minha pele,
De repente sinto teu toque meigo e delicado a acariciar-me.
As ondas põem-se a gemer, e as pedras, a esvaírem-se em sussurros.
Teus braços afetuosos, envolvendo-me nas noites frias e ardentes;
Teu corpo, terno e quente, aquecendo-me de ternura e carinho;
Tuas mãos, delicadamente, deslizando a acariciarem meu corpo.
Meus olhos ofuscaram-se com o brilho dos teus.
E todo o meu corpo, deslumbrado, estremeceu, à procura dos lábios teus.
Lábios que me deseja me toca e me faz feliz!  

sexta-feira, fevereiro 07, 2014

Delírios

Adormeço em teus pensamentos,
vagando loucamente pelos seus sonhos.
Mentalmente durmo em seus braços, sentindo o carinho feito pelo seu cheiro.
Me tocaste através de doces versos.
Devora-me arrancando o meu gosto.
Estremeço-me ao sentir os seus desejos delirantes.
Me perco vendo você decifra-me através das palavras.
Em noites de sois atiçasse a libido dos nossos caminhos.
Somos amantes e enamorados do prazer ardente.

Sil Kaiala

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Prenda-me



Prenda-me em seus braços
Em seu sexo, em seus olhos
Tirando o meu fôlego
Ao tocar meus lábios como nunca me desejou.

Em devaneios pecaminosos
Sua língua, seu suor
Inebriando-me de prazer
Faz-me sentir um enorme desejo por você.

Tão meu, tão gostoso.
Único, sem igual...
Faz minha voz fraquejar
Completa o meu êxtase sexual.

Faz-me arder Inteira de tanto ter você
No teu gemido constante.
Nas tuas pernas introduzo as minhas 
para te sentir em mim.

Sil Kaiala

sexta-feira, novembro 29, 2013

Assuma seu Cabelo

Respeitem meus cabelos, brancos
              Chegou a hora de falar
       Vamos ser francos

                 Pois quando um preto fala
       O branco cala ou deixa a sala
Com veludo nos tamancos
     Cabelo veio da áfrica....
Batuques, toques, mandingas
                 Danças, tranças, cantos
     Respeitem meus cabelos, brancos..."
(Chico Cesar - Respeitem Meus Cabelos, Brancos)








Só em pensar que antigamente os cabelos eram alisados não por falta de consciência, mais porque mulheres e homens negros seriam aceitos no mercado de trabalho. Poucas empresas aceitam os Negros como eles realmente são. Já fui para várias entrevistas e não passava na seleção porque eles só queriam pessoas com “boa aparência”. Hoje eu tenho plena consciência o porquê disso tudo, e sei como me portar nessas condições. Imaginem outras pessoas que se sentem mal com isso e por se sentirem “excluídas” se tornam “aprisionados da química. A química que agride nossos cabelos crespos lindos.

Nega do cabelo duro
Qual é o pente que te penteia?
Qual é o pente que te penteia, ó nega?”

Quem nunca ouviu piadas desse tipo?
Há muitos anos atrás musicas como “Nega do cabelo duro” vem sendo cantada. Várias letras “brincam” com o absurdo de pentear o cabelo de uma mulher negra, ou seja, não haveria pente capaz de pentear o cabelo “duro”, como muitas pessoas denominam os cabelos crespos.
Quantas crianças já escutaram essa música na escola:

“Nega do cabelo duro, Que não gosta de pentear” Ou brincadeirinhas do tipo: “Cabelo “de Bombril”, “palha de aço”, a “água nem entra”.

INDIGNAÇÃO!

Isso é o que eu sinto por ver nossas crianças sendo discriminada dessa forma. Muitas delas crescem com sua auto-estima baixa.
Para algumas mães isso é normal, pois um dia a criança crescer e aí faz o que quer da vida. Ou do tipo, alisa o cabelo da filha, passa henê, da pasta no cabelo, para que elas não se sintam “Diferentes” na escola.
Mas há também crianças brancas com ascendência Africana que sofrem várias piadas de mau gosto: “você é branco (a), mas porque teu cabelo é duro”? Não tem outro jeito a não ser alisar também o cabelo delas.
Muitos ficam aprisionados ao gel e demais produtos redutores de volume. São poucas as mães que tem consciência e trabalham a auto- estima dessas crianças, fazendo com que elas cresçam assumindo seus cabelos crespos com orgulho.

Eu sou prova viva disso tudo aqui, quantas vezes eu alisava o cabelo, dava ferro quente e de jeito algum queria usar o seu cabelo crespo. Não me considerava negra, tinha vergonha da minha pele, me considerava “morena”. E ai de quem me chamasse de Negra, eu falava logo “Não sou negra não, sou morena”. (rsrsrs...) só de pensar nisso me dar nojo.
É maravilhoso você não ter vergonha da sua cor, é muito bom você ter certeza que és uma Linda Mulher Negra e não ter vergonha do seu cabelo.


Saiba disso: Um cabelo Black Power, para muitos é só uma moda.

Mais par quem traz consigo a Africanidadeé um símbolo de RESISTÊNCIA.

 

 

 

 

“...Se eu quero pixaim, deixa
        Se eu quero enrolar, deixa
Se eu quero colorir, deixa
                Se eu quero assanhar, deixa
Deixa, deixa a madeixa balançar”
(Chico Cesar - Respeitem Meus Cabelos, Brancos)

 




Sil Kaiala

domingo, novembro 10, 2013

DESEJOS



Sublime és a tua voz

Que sussurra em meu eu.

Sua pele, envolve meu corpo adoçando minha boca.

Por tantos encontros, por tantas vezes

Sua mão desliza sobre as minhas curvas.

Meu gozo!

Meu desejo!

Arrancar a tua pele nua, totalmente nua...

Embora as palavras se percam sobre o horizonte

O destino rodeia sobre as nossas vidas,

Perco-me em seus braços ao sentir o suor escorrendo em meu corpo.

Quero ser sua!

Afogar sobre a tua pele

Beber o teu cálice

Saborear a tua beleza,

E dançar sorridente 

A única nota musical

O teu BEIJO.


                                                           
                                                    Sil Kaiala

sábado, novembro 09, 2013

Suspiros Ofegantes


Me toma 
Deixa-me viajar por tua pele
Deslizar minha boca em seus lábios
Me curvo a teu delírio
Em suspiros ofegantes, 
Como se não houvesse antes nem depois

       Teus olhos me penetram
Íntimos segredos
Suspiros de prazer...

Faz de meu corpo teu corpo
Deixa-me sem alento
Repete palavras úmidas 
 
Para que nossos lábios continuem fazendo amor.

                                                                                        Sil Kaiala

segunda-feira, novembro 04, 2013

Quilombo Rio Dos Macacos

"Poque que eles estão com essa Perseguição?" A guerreira Falou
Você se calou? Cabrerou do Opressor? Quanto de Suor meu Povo Derramou E em sequencia o Sangue Nagô
Duvidou em Branco? Achou.. que viria nossa extinção, Se Ferrou! Somos poucos na Resistencia mais muitos fortes por competencia
Assinou meu despejo, me expula do que é Meu Sair de cabeça Baixa, calado? Se fudeu! Ouviram minha Voz, vinheram Outros de Mim Nessa mesma luta, Vão Meus Pret@s Até o Fim!
Foram poucos os Presentes fisicamente Mas senti outros em Espíritos e corações Latentes Corações unidos, ações conjuntas cê ta ligado? Outros Tristes, por não estarem (fisicamente) do nosso Lado
Mas esses eu senti em energia positiva a contribuição Em Orações, Rituais,Desejos, Trabalhos, Elucubração Se fosse sempre assim...e os demais acomodados se levantassem Seria bem mais forte, Efetivando o movimento..Ahh Se Eles Colassem!!
Atravessamos continentes, a mutuados...e aqui fomos Jogados! Segregados, Excluídos..mais unidos Somos Todos QUILOMBO RIO DOS MACACOS!

Paulo Vendaval

segunda-feira, outubro 21, 2013

Beira Mar

Passear a beira mar

Observando o sino tocar


Meu peito estremecer


Ao sentir seu cheiro peculiar.


Minha vista presa ao horizonte


Embebeda a minha alma


Apenas ouvindo o mar.


Na margem da minha Ínsula


Excita-me doce lua


Fazendo-me sonhar


Cantigas que me acalmam.



                                                                                      Sil Kaiala

segunda-feira, agosto 19, 2013

Sou Neguinha






Da minha cor tenho orgulho, Majestosa eu sou.
Sua branquitude passa longe, Tenho meu valor.
Balanças as madeixas,
Qual o pente que a penteia?
Pois o modelo europeu,
Não corre em minhas veias.
Seu padrão de beleza,
Não faz parte de mim.
Mulher da cor preta, 
Gosto de mim assim.
Brincos Africanos,
Batom reluzente,
Sinto orgulho ao desfilar,
Com meu cabelo Black.
Meus traços denunciam minha sensualidade
Feitiço poderoso, mulher preta de verdade
Sei que te incomoda, meu conceito de beleza.
Tenho autoestima,
Minha fortaleza!
Cabelo Black Power,
Traços Africanos.
Pele preta tatuada,
Cintilando encantos.

Sil Kaiala

sexta-feira, agosto 02, 2013

" Poeta, 
                Não é somente o que escreve.
     É aquele que sente a poesia,
        se extasia sensível ao achado de uma rima à                 autenticidade de um verso..."

Cora Coralina

sábado, junho 01, 2013

Em Legítima Defesa - Elizandra Souza


Um Lindo Presente que ganhei! Estou apaixonada.....

Só estou avisando, vai mudar o placar....
Já estou vendo nos varais os testículos dos homens,
que não sabem se comportar
Lembra da Cabeleireira que mataram, outro dia
E as pilhas de denuncias não atendidas?
Que a notícia virou novela e impunidade 
É mulher morta nos quatro cantos da cidade... 

Só estou avisando, vai mudar o placar... 
A manchete de amanhã terá uma mulher,
de cabeça erguida, dizendo:
- Matei! E não me arrependo!
Quando o apresentador questiona-lá 
ela simplesmente retocará a maquiagem.
Não quer esta feia quando a câmera retornar
e focar em seus olhos, em seus lábios...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
Se a justiça é cega, o rasgo na retina pode ser acidental 
Afinal, jogar um carro na represa deve ser normal... 
Jogar a carne para os cachorros procedimento casual... 

Só estou avisando, vai mudar o placar... 
Dizem, que mulher sabe vingar 
Talvez ela não mate com as mãos. mas mande trucidar... 
Talvez ela não atire, mas sabe como envenenar... 
Talvez ela não arranque os olhos, mas sabe como cegar... 

Só estou avisando, vai mudar o placar...

                                                          Elizandra Souza

sexta-feira, maio 31, 2013

Poeme-se


Diante dos teus olhos 
Ouço um sussurro 
Trago em meu peito
As lágrimas que insiste em chorar.
Seus desejos 
Misturam-se a me hipnotizar
Quando a saudade por ti aparecer
Faça meu anseio renascer.
Ilumina meu rosto
A magia que me faz sorrir
Minha alma sussurra
Doçuras, apenas.
Mergulho em meus sonhos
Sobrevivo pelos meus anseios
Adormeço sobre as águas
Da minha existência.
Me calo!
Não vejo!
Mais sinto....
No sopro do luar
Preciso continuar existindo.

Sil Kaiala

sexta-feira, abril 26, 2013

Inspiração



Sentir
 o batuque do peito,
Estremecer 
o chão que eu piso,
Rimo palavras cantadas
 e falo do que eu acredito.
Tenho uma forma louca
 de gritar 
através do que eu escrevo,
Só sei expressar com poesia 
os meus sentimentos.



  Sil Kaiala

segunda-feira, fevereiro 04, 2013

Sentido



Adormece alma minha em teu corpo
Vindo da tua palavra

Segue o meu olhar.

Prefiro seu cantar

Me encantar
Em noites sem sois.


Em nós entrelaçados
Suave, doce Palavras
A tua canção me acalma.

Meus clamores
Amores, desamores,
O olhar perdido
Busca meus sentidos.

Refugio-me do que é real 

Radiante pelo Irreal

IMORTAL.

No momento,
Permaneço assim
Longe de mim,
Perto de ti.

                                            Sil Kaiala

sábado, janeiro 12, 2013

Saudades

           Entre Canções e Suspiros
                              Sinto o seu som.
                       Leve doçura
                              Desvaneia as estações,
                                                 Acalma - se o peito.

             Sem você presente,
                          Noites Escuras
                                   Tempestades sem raios
                      O dia sem Brilho
                                    Surge sem dizer Adeus.
                                                     Um simples verso
                                         Canções a chorar
                                                          O outro eu!
                                                               Saudades que dói.


Sil Kaiala




domingo, outubro 07, 2012

Enigma dos Olhos



Sentir o Ar sombrio
Miragem sem rumo
Meu mundo.
Uma gota seca
Decifra a mulher do meu intimo.
Lá se vai o Suspiro
Vai perdido no tempo...
Dentro dos meus olhos
O frio congela minha alma inquieta
Mundo real

Meu Tempo!!!!

Sil Kaiala

segunda-feira, agosto 20, 2012

Minha Pele





Minha pele

Traduz o silêncio da noite.
Agarro-me ao sossego das palavras
que desenham minha pele, feito tatuagem.

Na essência do meu EU,
exalo meu silêncio.

No suspiro do meu EU,
ventos tatuam meu rosto.

Sinto minha pele como uma canção
Que ainda me aquece
Na escuridão que habita meu corpo.
Ao toque do meu suspiro
A força pulsa alto
As batidas do meu coração.


    Sil Kaiala